Ministério de Fé e Política

MFP

O Ministério de Fé e Política, é a ação ministerial e pastoral da Renovação Carismática Católica para a difusão da Cultura de Pentecostes no meio público e político, a partir da experiência do batismo no Espírito Santo. Em outras palavras, ele representa a expressão missionária da RCC no meio público e político.
O seu objetivo é promover a civilização do amor na nação brasileira, através da evangelização dos homens e mulheres públicos à frente da máquina governamental, da conscientização do protagonismo eleitoral e do resgate da importância do bem comum na política.
É papel do Ministério de Fé e Política, portanto, da Renovação Carismática, apoiar e incentivar a participação na política daqueles que sentem chamados a trabalhar em cargos eletivos. No entanto, vale salientar que não é objetivo do Ministério de Fé e Política formar partidos políticos ou realizar campanhas eleitorais.

Dúvidas frequentes:
a. Qual o papel do Ministério de Fé e Política na Diocese?
Estar a disposição do Conselho Diocesano para articular os debates sobre políticas e assessorar o acompanhamento eleitoral na diocese, com os discernimentos que se fizerem necessários.

Acompanhar o Conselho Diocesano nas articulações com as instituições públicas e políticas do estado brasileiro, oferecendo adequada e isenta leitura do cenário político local, inclusive, promovendo análises de conjuntura nos fóruns privilegiados constituídos da RCC.

b. Como faço para entrar para o Ministério de Fé e Política?
Basta procurar o Coordenador Diocesano do Ministério de Fé e Política e se colocar à disposição. Ele estará incluindo seu nome entre os mobilizadores da consciência política da RCC. Com isso, você poderá ajudar nas mobilizações que forem acontecer na diocese. Agora, caso o seu interesse seja participar da Equipe Diocesana do MFP, será necessário aguardar o discernimento e convite por parte do Coordenador Diocesano do Ministério. Ele mesmo também deverá ser objeto de discernimento do Presidente do Conselho Diocesano da Renovação Carismática Católica.

c. Quero ser candidato da RCC. Como devo proceder?
Como supracitado, é papel do Ministério de Fé e Política, portanto da RCC, incentivar a participação “NA” política daqueles que sentem chamados a trabalhar em cargos eletivos. O que não significa que alguém, quem quer que seja, possa se colocar como /ou deva ser candidato da Renovação. A Igreja é apartidária! Por consequência, a Renovação Carismática Católica – braço da Igreja – da mesma forma vem a ser. Em outras palavras: não tem partido e portanto, não deva ter candidato.


Contributo do Ministério de Fé e Política para a RCC/Igreja

a. Proteger o movimento de possíveis instrumentalizações.
A Renovação Carismática Católica não incentiva a promoção de candidaturas que escolham a via dos projetos pessoais para apoiar.

Não podemos admitir que a Renovação Carismática Católica – a Igreja – Seja transformada em massa de manobra política, palanques políticos e, muito menos instituição de militância política.

b. Formação Política
A RCC através de seus Encontros Nacionais, Estaduais e Diocesanos e de seu Instituto de Ensino a Distância – IEAD, tem proporcionado a seus membros, formações do mais elevado nível, tanto nos módulos básicos, quando nos módulos intermediários, bem como nos módulos avançados. Um Exemplo claros, são as participações de Bispos do Brasil dando formações específicas em seus Workshops nos Encontros Nacionais de Formação; outro, é o Curso de Ciências Políticas a Luz da Doutrina Social da Igreja, ministrado através do IEAD da RCC em parceria com a PUC-RJ, uma das mais renomadas universidades do país.

Contributo do Ministério de Fé e Política para a Sociedade
a. Formação Política
Também através daquelas formações políticas citadas anteriormente, estaremos oferecendo ao Brasil, cidadãos preparados e prontos a serem protagonistas de uma evolução social; protagonista da implantação da civilização do amor da qual tanto falamos e pregamos nos milhares grupos de oração espalhados pelo Brasil.

b. Cidadãos preparados para defender os valores do Evangelho
Por meio das mesmas formações políticas e de ações discernidas e planejadas, dentro do âmbito do movimento ou em conjunto com outras entidades, estaremos prontos a fazer a diferença na sociedade em defesa da família e dos valores cristãos.

Por último, um questionamento que vez outra sempre surge como forma de abordagem e indagação: A RCC/Igreja deve envolver-se nas questões políticas?
Para responder a esta questão, deixamos 03 (três) pequenos trechos de documentos da própria Igreja para nossa própria reflexão.
I. É preciso ressoar a Palavra libertadora do Evangelho no complexo mundo da Política
Por isso, a doutrina social não representa para a Igreja um privilegiado, uma digressão, uma conveniência ou uma ingerência: é um direito seu evangelizar o social, ou seja, fazer ressoar a palavra libertadora do evangelho no complexo mundo da produção, do trabalho, do empresariado, das finanças, do comércio, da política, do direito, da cultura, das comunicações sociais, em que vive o homem.
(DSI, Cap. II – Missão da Igreja e Doutrina Social, Item I, Alínea d (Direito e dever da Igreja), § 70, pag. 50)

II. Submissão as Autoridades – Toda autoridade é constituída por Deus
Cada qual seja submisso as autoridades constituídas, porque não há autoridade que não venha de Deus; (…) Portanto, é necessário submeter-se, não somente por temor do castigo, mas também por dever de consciência. É também por essa razão que pagais os impostos, pois os magistrados são ministros de Deus, quando exercem pontualmente esse ofício. Pagai a cada um o que lhe compete: o imposto, a quem devei o imposto; o tributo, a quem deveis o tributo; o temor e o respeito, a quem deveis o temor e o respeito.
(Carta de São Paulo aos Romanos, Cap. 13, Versículos de 1 a 7)

III. Educação Moral e Cívica – Um dever de todos
Hoje que a Igreja deseja viver uma profunda renovação missionária, há uma forma de pregação que nos compete a todos como tarefa diária: é cada um levar o Evangelho às pessoas com que se encontra, tanto mais íntimos como aos desconhecidos.
(Evangelli Galdium – 127)

Gilson D. Oliveira
Coordenado do Ministério Fé e Política
RCC Diocese de Uberlândia